LOGO clara   HUMANAMENTE  |  PSICOLOGIA, PSICANÁLISE & FILOSOFIA

TEXTO COMPLEMENTAR

 

Tendências neuróticas

Como foi visto no vídeo, as tendências neuróticas descritas por Horney são aplicáveis tanto às pessoas psicologicamente saudáveis quanto às neuróticas. A diferença está, basicamente, no nível de intensidade das tendências, no grau de consciência do sujeito, na forma repetitiva e compulsiva em que tais tendências se manifestam e se há ou não diversificação no uso das estratégias.

 

Em direção aos outros

O conceito de “em direção aos outros” não significa que essa movimentação acontece motivada por amor genuíno, mas por uma necessidade neurótica de proteger a si mesmo de sentimentos de impotência.

Na tentativa de se protegerem, pessoas neuróticas podem empregar as duas primeiras necessidades neuróticas (necessidade de afeição e de um parceiro poderoso), lutando desesperadamente por afeto, aprovação ou por uma pessoa poderosa que assuma a responsabilidade sobre suas vidas. Horney referia-se a essas necessidades usando o termo “tendências mórbidas”.

Neuróticos que adotam essa tendência costumam ver a si mesmos como pessoas amáveis, generosas, humildes e sensíveis aos sentimentos dos outros. Elas se submetem aos outros de boa vontade, enxergam as outras pessoas como mais inteligentes e/ou atraentes, e avaliam a si mesmas de acordo com a opinião dos outros.

 

Contra os outros

Assim como pessoas complacentes supõem que todos são bons, pessoas agressivas partem do princípio de que todos são hostis. Em consequência, adotam a estratégia “contra os outros”. Pessoas neuroticamente agressivas são tão compulsivas quanto as neuroticamente complacentes, e ambas têm seus comportamentos provocados pela ansiedade básica.

Contudo, os agressivos, em vez de adotarem uma postura submissa e dependente, posicionam-se de maneira rude e implacável. Orientam-se com base em uma forte necessidade de explorar os outros em benefício próprio, raramente admitem seus erros e são compulsivamente motivadas a parecerem perfeitas, poderosas e superiores.

Essa tendência incorpora cinco das dez necessidades neuróticas: necessidade por poder, por exploração, por reconhecimento e prestígio, por admiração e por conquistas. Pessoas movidas por essa tendência jogam para vencer e não pelo prazer de jogar. Podem parecer trabalhadoras e prestativas em seu local de trabalho, mas sentem pouco prazer no trabalho que executam. Suas motivações básicas são o poder, o prestígio e a ambição pessoal.

Note que as tendências “em direção aos outros” e “contra os outros” são, em muitos pontos, opostas. Contudo, em ambas o centro de referência localiza-se fora da própria pessoa, ou seja, numa tendência ou noutra os neuróticos precisam dos outros. Pessoas complacentes precisam que os outros satisfaçam suas carências relacionadas ao sentimento de impotência, enquanto que os agressivos usam os outros como uma proteção contra a hostilidade (real ou imaginária) da vida em sociedade.

Em pessoas saudáveis, contudo, essas tendências podem gerar comportamentos saudáveis como a amabilidade (no primeiro caso) ou a competição dentro de regras razoáveis (no segundo caso).

 

Para longe dos outros

Na tendência “para longe dos outros”, diferentemente das anteriores, outras pessoas são menos importantes. Aqui, no intuito de solucionar o conflito básico do isolamento, algumas pessoas se comportam de maneira emocionalmente distanciada das outras. Há necessidade de privacidade, independência e autossuficiência.

Em pessoas saudáveis a tendência “para longe dos outros” pode levar a comportamentos positivos como a busca pela autonomia e a serenidade. Entretanto, quando essas necessidades tornam-se neuróticas ocorre a criação compulsiva de fortes barreiras emocionais entre o neurótico e as demais pessoas.

Para muitos neuróticos, o vínculo com outros gera uma tensão intolerável. Em consequência, eles sentem o desejo compulsivo de se afastar. Frequentemente constroem um mundo próprio e se recusam a deixar outras pessoas participarem dele. Valorizam a liberdade e a autossuficiência, e costuma ser percebidos como distantes e inacessíveis. Evitam compromissos sociais, preservam o distanciamento mesmo em relação aos seus parceiros (quando casados) e temem profundamente precisar de outras pessoas.

Quase todos os neuróticos têm a necessidade de se sentirem superiores, mas o neurótico emocionalmente distanciado tem uma intensa necessidade de se sentir forte e poderoso. Seus conflitos básicos são toleráveis apenas diante da falsa crença de que é uma pessoa perfeita, portanto acima das críticas. Ele foge da competição por medo de falhar e ver desmoronar suas falsas convicções a respeito de si mesmo. Assim, prefere que suas supostas qualidades sejam reconhecidas sem que precise se esforçar.

 

O quadro abaixo mostra como as 10 necessidades neuróticas estão inseridas nas três tendencias neuróticas, segundo Horney.

 

tendencias

--------------------------

Obras recomendadas:

“New Ways in Psychoanalysis”, de karen Horney.

“Karen Horney: gentle rebel of psychoanalysis”, de Jack Rubins.

“Theories of Personality”, ed. 7, de Jess Feist e ‎Gregory Feist.

Apenas usuários cadastrados podem comentar
  • Nenhum comentário foi encontrado

LOGO

SOBRE O SITE  |  FALE CONOSCO

Copyright© 2016 - 2018 - Todos os direitos reservados.

The Best Bookmaker Betfair Review betfair cvisit from here.